As protéínas, instruções de uso

As proteínas sempre fazem parte das conversas no mundo do esporte, pois suas propriedades são benéficas aos atletas e isso, em diversos ramos. Trata-se de componentes essenciais de todas as nossas células, que são encontrados em inúmeros alimentos. É o motivo pelo qual alguns esportistas seguem um regime específico, no intuito de aumentar seu aporte em proteínas e aumentar sua massa muscular.

 

As proteínas, essas moléculas indispensáveis à vida

As proteínas são moléculas enormes, indispensáveis à vida, pois elas representam a única fonte de nitrogênio do organismo. Elas são elaboradas a partir dos aminoácidos, que são pequenas moléculas feitas de átomos de carbono, de hidrogênio, de oxigênio e de nitrogênio. Existem uns vinte no total. Eles são combinados de várias maneiras para constituir proteínas de tamanho e complexidade diferentes. Consideramos que é preciso cerca de 100 aminoácidos associados para formar uma proteína.

 

As possibilidades de combinações de aminoácidos são tão importantes que todas as proteínas ainda não são conhecidas. Dentre elas, algumas formam a trama de todos os órgãos do corpo (as proteínas de estrutura), outras, são funcionais tais como as que constituem nossos anticorpos, nossas enzimas, nossos hormônios ou ainda nossa hemoglobina. O corpo também tem a possibilidade de transformar um aminoácido em outro, de acordo com suas necessidades, salvo para 8 dentre eles, denominados os aminoácidos essenciais. Caso um deles estiver em falta ou em quantidade insuficiente, o processo de síntese das proteínas fica bloqueado.

 

É preciso saber que todas as células de nosso organismo são feitas de proteínas e que a organização dessas últimas é codificada de tal maneira, que todas são diferentes de acordo com os indivíduos, o que explica as rejeições de transplante de órgãos.

 

Finalmente, existem dois tipos de proteínas: as proteínas de origem animal e as proteínas de origem vegetal, ambas tendo a mesma importância.

 

O interesse das proteínas

Como já foi dito, as proteínas têm um papel determinante para nosso organismo. Elas são responsáveis pela construção e pelo reparo de alguns órgãos. Sendo assim, elas renovam diariamente nossa pele, cabelos e tecidos musculares. Elas auxiliam, igualmente, no reforço e defesa contra as agressões externas.

 

Ao praticarmos uma atividade física intensa, elas são tão primordiais que favorecem o crescimento da massa muscular. De fato, os músculos são fabricados a partir de aminoácidos, que são utilizados pelo organismo para reparar os tecidos musculares danificados. É o motivo pelo qual o consumo de proteínas nos bodybuilders é especialmente importante. De modo geral, o esporte exige um aporte proteico mais importante, do mesmo modo que a gravidez ou a amamentação.

 

Como alimentar-se?

As proteínas renovam-se sem parar no nosso corpo e são fabricadas a partir dos alimentos que ingerimos. As proteínas presentes nesses alimentos são fracionadas em aminoácidos durante a digestão, para que, em seguida, o organismo possa utilizá-las na constituição de suas próprias proteínas. Sendo assim, recomenda-se o consumo de alimentos ricos em proteínas nas 3 refeições diárias.

 

Claro que nossas necessidades proteicas variam em função de nosso peso, idade e de nossa atividade muscular. Considera-se, geralmente, que as necessidades no adulto masculino oscilam entre 65 e 70g por dia e no adulto feminino, entre 54 e 66g por dia. Na realidade, o aporte proteico deve representar entre 12 a 15 % do aporte proteico calórico total. No que concerne os praticantes de musculação intensiva, é preciso considerar entre 200 a 300g de proteínas por dia!

 

As proteínas de origem animal contêm todos os aminoácidos essenciais ao passo que, às vezes, elas estão ausentes das proteínas de origem vegetal. Sendo assim, encontramos as primeiras em:

  • carnes e peixes (15 à 24 %)
  • queijos (15 à 30 %)
  • ovos (13 %)
  • produtos lácteos (5 à 8 %)
  • o leite (3,5 %)
  • Quanto às proteínas de origem vegetal, encontramos em:
  • no pão (7 %)
  • nos cereais, nos amiláceos, nas leguminosas, tais como a soja, as lentilhas, os feijões … (2 à 5 %)

 

As carências em proteínas são bastante raras e ocasionam fragilidade, derretimento muscular, diminuição da resistência a doenças… por outro lado, os excessos mais frequentes, aumentam a quantidade de detritos no organismo (ureia, ácido úrico…), impedindo os rins de eliminá-los totalmente e portanto, aumentando a taxa de proteínas no sangue.

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Vote
VOLTAR PARA O TOPO